Os Estados Unidos e as Eleições 2016: Rumo à Casa Branca

Os Estados Unidos e as Eleições 2016: Rumo à Casa Branca

Artigo escrito por: Cristina Soreanu Pecequilo

Professora de Relações Internacionais da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) Autora de “Os Estados Unidos e o Século XXI” e “A União Europeia”  (Ed. Elsevier)

De Agosto a 08 de Novembro de 2016, os Estados Unidos viverão o período mais intenso de sua corrida eleitoral, culminando na posse do (a) novo (a) ocupante da Casa Branca em Janeiro de 2017. Pela primeira vez, uma mulher concorrerá ao cargo de Presidente por um dos partidos majoritários, a ex-Primeira Dama, Senadora e ex-Secretária de Estado Hillary Clinton, pelo lado democrata. Pelo lado republicano, um nome conhecido e inesperado, o milionário Donald Trump, empreendedor e apresentador de reality show.

Ambos estão empatados nas pesquisas, o que sinaliza uma campanha tensa e que pode apresentar, pelo que se viu até o momento, baixo nível de debate.  Esta tendência é ressaltada por Trump, com declarações polêmicas, agressivas xenófobas, racistas, homofóbicas, machistas e isolacionistas, que atacam minorias, imigrantes, religiões e aliados. Individualista e egocêntrico, Trump externaliza os problemas da América e promete resolvê-los de forma revolucionária, gerindo o país como uma empresa, sem auxílio de Washington.  Hillary aposta no discurso da união, defendendo a continuidade e aprofundamento da agenda de Obama, com inclusão humanista e universal. Além disso, faz valer a sua condição de mãe e avó, somada à experiência de uma mulher competente, cuja vida foi dedicada ao serviço público.

Estamos diante de um país dividido por problemas sociais e políticos, que é a potência hegemônica global, alternando momentos de crise e prosperidade. Quem irá ganhar a eleição? Esta é uma questão em aberto para  “Os Estados Unidos e o Século XXI”.

Imagem: CNN