No dia do Engenheiro eletricista, saiba mais sobre a profissão e o mercado

Hoje, 23 de novembro, é comemorado o dia do engenheiro eletricista, profissão de suma importância para todas as pessoas que dependem da energia elétrica para viver, ou seja, todos nós. A eletricidade é tão importante para a sociedade atual, que viver sem ela é quase que abdicar de acessibilidade e interação com o mundo externo. São esses profissionais que se dedicam ao máximo, para trazer a comodidade da eletricidade para nossas casas, empresas e afins.

A escolha da data surgiu em homenagem à fundação do Instituto Eletrotécnico de Itajubá, que ocorreu em 23 de novembro de 1913. A organização foi uma das maiores escolas de engenharia do país, tendo iniciado suas atividades em 16 de março do mesmo ano. A oficialização de sua inauguração, porém, levou oito meses para ser anunciada, pois os responsáveis queriam aguardar a presença do Presidente Hermes da Fonseca.

MERCADO DE TRABALHO

Após a formação, o profissional graduado como engenheiro eletricista pode atuar em um leque bem amplo no mercado, que varia de empresas de transmissão e distribuição de energia elétrica, o ramo de telecomunicações, construção civil, automação, informática e outros. Além de poderem também  atuar em órgãos governamentais, como agências reguladoras, secretarias, ministérios, etc.   

Entre as funções desempenhas por esses profissionais estão: desenvolvimento e gerenciamento de sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. Também é sua atribuição elaborar projetos de sistemas de medição e de instrumentação eletroeletrônica, de acionamentos de máquinas, de iluminação, de proteção contra descargas atmosféricas e de aterramento. Além disso, são eles que executam projetos e estudos de eficiência energética e de fontes de energia renovável.

O número de empregos para engenheiros eletricista no Brasil é relativamente alto (com 28.916 vagas disponíveis ao ano). Atualmente cerca de 107.121 profissionais estão atuando neste ramo, segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os salários iniciais variam bastante, podendo chegar a três mil reais, já os ganhos de um profissional no auge da carreira chegam facilmente a R$ 20 mil (mensais).

SUGESTÃO DE LEITURA

Os livros da Série Sociedade Brasileira de Telecomunicações – SBrT, publicados pela editora Elsevier, objetivam dimensionar o conhecimento na área de engenharia elétrica e telecomunicações. A série inclui livros-texto, destinados à formação de estudantes de cursos de graduação e de pós-graduação, com material didático alinhado com o conteúdo programático das universidades brasileiras, bem como livros que se aprofundam em tópicos específicos, destinados a alunos de pós-graduação, pesquisadores e profissionais da área. A Série SBrT/Elsevier é uma demonstração do amadurecimento da comunidade científica brasileira na área de telecomunicações, tanto na formação de recursos humanos qualificados, como na produção de pesquisa científica.

CURIOSIDADE

A história da Engenharia Elétrica é mais antiga do que habitualmente se imagina. Pode-se dizer, com certa liberdade, que ela data de 1752, quando Benjamin Franklin (1706-1790) inventou o para-raios, dando início ao aproveitamento da eletricidade pelo homem. Através de uma simples pipa que teve está grande ideia . Desde então, essa área evolui como poucas. Quase dois séculos depois da invenção de Franklin, surgiu a Eletrônica, em 1940, trazendo as válvulas eletrônicas a diodo e, depois, os transistores da década de 1950. Foi o ponto de partida para a era da tecnologia dos semicondutores e dos computadores. Hoje, a Engenharia Elétrica está presente, praticamente, na fabricação de todo produto manufaturado e dos que envolvem alta tecnologia. (Fonte: Vunesp)