Migração de TV analógica para digital tem início este ano

Migração de TV analógica para digital tem início este ano

O Ministério das Comunicações informou, recentemente, no ”Diário Oficial da União” que a previsão para o desligamento da TV analógica no país terá início a partir do dia 15 de fevereiro, no município de Rio Verde, em Goiás. A intenção é que todos os sistemas migrem para o digital até 2018. Para falar um pouco mais sobre o assunto convidamos o autor da Elsevier, Lisandro Lovisolo, e baseado no conteúdo por ele fornecido, criamos a série TV digital x analógica, que foi dividida em: mudança, diferenças, vantagens e dificuldades. Confira abaixo o primeiro artigo da série.

TV digital x analógica: mudança

Com o estabelecimento do Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD), as emissoras de TV aberta passaram a transmiti-lo juntamente com o analógico. Isso permitiu que os receptores analógicos continuassem a receber o sinal de TV e assim postergássemos sua obsolescência. Porém seu desligamento total começará em breve, e com isso, a recepção deverá ser feita ou por um receptor de sinal de TV digital ou por um aparelho televisor com um dispositivo embarcado, isto é, integrado ao visor.

A adoção de tecnologias mais novas ou avançadas, mesmo apresentando crescimento cada vez mais rápido, não implica que todos os consumidores ou usuários migrem do serviço anteriormente ofertado para o novo. Assim, muitas vezes, a aquisição de equipamento necessário para a adoção de novas tecnologias e serviços deve ser estimulada, ou induzida ou até mesmo “forçada”. Em muitos casos, só assim a migração total para a nova tecnologia é realizada, permitindo que o antigo serviço seja descontinuado, no caso com o apagamento do sinal de TV analógica – desligando sua difusão.

Aqueles que tiveram a oportunidade de ver o sinal digital num receptor de alta resolução (High Definition) com certeza já perceberam o ganho na qualidade visual das imagens, o mesmo podemos dizer sobre a qualidade do áudio. Quando assistimos um conteúdo assim, num visor HD e o comparamos ao que é apresentado num visor analógico ou mesmo de resolução inferior ao HD, só aí temos a profunda compreensão do ganho de qualidade no conteúdo permitido pela adoção da TV digital.

O aumento na resolução do vídeo e da qualidade do conteúdo da TV deveu-se à capacidade de construir equipamentos cada vez mais precisos, de menor tamanho e com menor consumo de energia, e ao aumento significativo de escala, que permitiu diluir os custos de pesquisa, desenvolvimento e produção por mais equipamentos e consumidores. Os avanços técnicos e o domínio de diversos materiais empregados na construção de câmeras e visores digitais, na eletrônica e sua miniaturização, e nos algoritmos embarcados nos dispositivos foram fundamentais para criar os produtos e equipamentos necessários. Todas essas inovações motivam investimentos, desenvolvimentos e consumo de equipamentos, tecnologias e serviços voltados para a produção, transmissão e consumo do conteúdo de TV Digital, estimulando a atividade econômica e criando empregos.