Você não está protegido

Invasão Digital: Você não está protegido

Ao logar-se em uma página o usuário cria uma senha para que seu acesso naquele ambiente seja seguro, evitando assim que terceiros invadam sua conta e tenham acesso livre aos seus dados. Na prática isso seria perfeito se não houvessem tantas brechas criadas pelos próprios usuários. Em 2015 a empresa SplashData, especializada em soluções para gerenciamento de senhas, analisou mais de dois milhões de cadastros vazados na rede. Algo que chamou a atenção foi a familiaridade de uma coisa que teoricamente seria individual e intransferível: a senha. Dentro das informações analisadas a SplashData conseguiu filtrar 25 senhas mais usadas entre esses usuários, e que, por isso, são provavelmente muito inseguras, o que torna fácil a infiltração de hackers nessas contas.

As senhas encontradas, em geral eram sequências do teclado como 123456 e 1qaz2wsx. A lista também inclui algumas palavras em inglês, como letmein (“deixe-me entrar”), monkey (“macaco”) e welcome (“bem-vindo”), o que também tem relação com a origem dos dados vazados, uma vez que as senhas eram fáceis de serem descobertas.

Em junho deste ano o próprio CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, teve suas contas do Twitter e Pinterest hackeadas, devido ao uso de uma senha curta e simples para logar nas redes sociais, a utilizada por Mark era ”dadada”, além disso o CEO ainda cometeu o grande erro de reutilizar a mesma senha para mais de uma conta.

”Ter senhas seguras e exclusivas é a chave para se proteger, no mundo atual da internet. Embora gostemos de considerar a internet um lugar tranquilo e agradável, no qual todos podem conviver bem, a realidade é que ela se aproxima mais do Velho Oeste do que de um lugar tranquilo. Há muitas pessoas que querem roubar seu dinheiro e identidade e usá-los em benefício próprio, o que não será nada bom para você. Proteger-se de forma proativa é a única maneira de garantir que ninguém se aproveite de você, on-line.” (Fundamentos da Privacidade Digital, Elsevier)

¹COMO ESCOLHER UMA SENHA

Escolher uma senha exige muito mais cuidado que um nome de usuário. As senhas devem ser seguras e exclusivas para cada site. As seguras têm características muito específicas. Há quatro grupos de caracteres no teclado padrão: letras minúsculas, maiúsculas, números e caracteres especiais (em geral, encontrados nas teclas numéricas, quando você mantém a tecla Shift pressionada). Para que as senhas sejam consideradas seguras, precisam conter, pelo menos, três desses quatro tipos de caracteres. A razão de elas serem longas é aumentar sua complexidade. Quanto mais complexas, mais difícil de sofrerem ataques de força bruta.


¹ Trecho retirado do livro Fundamentos da Privacidade Digital, Elsevier