Gestão de água é fundamental para a geração de empregos

Gestão de água é fundamental para a geração de empregos

O Relatório da ONU sobre o Desenvolvimento Mundial dos Recursos Hídricos, lançado este ano em mais de 20 países, entre eles o Brasil, aponta que a gestão de água é fundamental para a geração de empregos e para o desenvolvimento econômico. Segundo o estudo, que tem como foco principal o mercado de trabalho, três em cada quatro empregos dependem da água.

Como o documento afirma, não só a vida está diretamente ligada à água, a oportunidade para geração de trabalho também está associada a gestão sustentável dos recursos hídricos. A agricultura, a pesca e a silvicultura concentram 1 bilhão de trabalhadores, que usam 70% da água mundial – dados que preocupam se for considerada a possibilidade de escassez. ‘’¹Nesse contexto mundial, estima-se que entre 1987 e 2000 houve um aumento de captação das águas doces na taxa de 1,00% ao ano e que tal magnitude tem se mantido para os dias atuais (WWDR − World Water Development Report, 2014).’’ (¹Fonte: Saneamento para Gestão Integrada das Águas Urbana)

Ao mesmo tempo em que a água é tão importante para nós seja economicamente como para a vida humana, seu acesso adequado ainda continua disponível apenas para uma parcela da população ‘’²Conforme dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) e da UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância), em 2013 aproximadamente 768 milhões de pessoas não tinham acesso a mananciais hídricos adequados e 2,5 bilhões não tinham acesso adequados serviços de esgotamento sanitário. Outro dado, conforme o WWRD, 2014, é que em âmbito mundial ao menos 80,00% do esgoto gerado no mundo não é coletado nem, tampouco, tratado. Esses impactos podem assumir tal magnitude a ponto de inviabilizarem a manutenção da qualidade da água considerada necessária para a sua viável utilização.’’ (²Fonte: Saneamento para Gestão Integrada das Águas Urbana)

Mesmo com a diminuição da linha da pobreza em alguns países e o acesso ao saneamento básico, a água tratada e sua distribuição, a balança oposta ainda não tem as ferramentas necessárias para sanar os demais problemas ainda existentes, como a quantidade de água desperdiçada e não tratada, por exemplo. ‘’³Com relação ao aumento do consumo de bens materiais e energia, não há como negar que uma das causas é o aumento da população no mundo, todavia em taxas que variam acentuadamente entre os países. Além do crescimento populacional, também é visível que o crescimento do consumo per capita destes bens materiais e de energia tem aumentado, bem como os respectivos níveis de desperdícios, sendo esse crescimento de consumo creditado às melhorias de padrão de vida da classe média em países em desenvolvimento.

Quanto à água, projeções de demanda vislumbram para o futuro um aumento expressivo em todos os setores, em especial nesses países em desenvolvimento. No caso da agricultura, de acordo com o WWDR, 2014, é esperado um aumento de demanda na ordem de 20,00% até 2050. Para a OECD (Organisation for Economic Co-operation and Development), também para 2050, a demanda por águas naturais aumentará 400,00% para a indústria, 140,00% para a geração de energia e 130,00% para uso doméstico. (³Fonte: Saneamento para Gestão Integrada das Águas Urbana)

Imagem: Google