AF-GEOFISICA-—-CAPA-pronta

Geociências a serviço do petróleo

No dia 30/05 foi comemorado o dia do geólogo, profissional que é responsável pelo estudo da estrutura e dos processos que formaram a Terra e sua evolução. Para comemorar a data e fazer uma análise do mercado para esta área, a Elsevier Notícias preparou uma matéria que aborda como tema as geociências a serviço da exploração e produção do petróleo, área onde os geólogos têm forte atuação.

Para o profissional que desejar aprofundar sua especialização na área petroleira, é necessário que ele saiba que a área é muitdisciplinar e tem caracteristicas complementares de disciplinas como geologia, geofísica e engenharia de reservatório. Com base nisso, a Elsevier lançou Geofísica para engenheiros de petróleo, que tem com proposta minimizar as lacunas na troca de informações entre as áreas que atuam na indústria do petróleo “Ainda há uma forte necessidade de manter e melhorar as linhas de comunicação entre engenheiros, geofísicos, geólogos e petrofísicos nas áreas de perfuração e produção de reservatórios. A obra foi produzida por especialistas em geociências e engenharia na indústria e academia, foi projetado e escrito para minimizar essa lacuna na troca dessas informações”, ressaltou, no prefácio da obra, o editor da série de livros Engenharia de Petróleo, John Cubitt, sobre o trabalho dos autores de Geofísica para engenheiros de petróleo, Fred Aminzadeh, professor da Universidade  do Sul da Califórnia, e Shivaji N. Dasgupt, presidente da Reservoir Consultores, no Texas.

 Mas por que as especializações em torno do segmento petrolífero são tão procuradas?

No início de 2015, a Agência Internacional de Energia (AIE) projetou um crescimento na demanda global por petróleo de 75 mil barris por dia (bpd) para 1 milhão de bpd. Na avaliação da entidade, os números significam uma média de 93,5 milhões de bpd em 2015. Com isso, à medida que a procura mundial pelo óleo cresce, aumenta também a necessidade contínua da caracterização de reservatórios para a recuperação aprimorada do petróleo e de mão de obra qualificada para realizar todos esses processos.

Em relatório recente feito pela universidade norte-americana Georgetown University Center on Education and the Workforce, baseado em dados do Censo 2013, divulgou os principais cursos das universidades que possibilitam maior rendimento aos graduados nos Estados Unidos. Das dez carreiras analisadas, presentes no ranking, nove fazem parte do campo da engenharia, sendo engenharia do petróleo o primeiro. Segundo a pesquisa, os alunos com essa graduação no currículo tinham, em média, um salário anual de U$136 mil nos Estados Unidos. Aqui no Brasil, embora haja alguma diferença, o quadro é quase o mesmo – a engenharia do petróleo ocupa o posto de uma das profissões mais requisitadas no mercado e com salários bem altos se comparados com o de outras profissões.