Fatores climáticos e suas variações interferem em toda a vida na Terra

Fatores climáticos e suas variações interferem em toda a vida na Terra

Além de ser o dia do descobrimento do Brasil, comemoramos também no dia 22 de abril o Dia Internacional da Terra. A data foi escolhida em 1970 pelo senador  americano Gaylord Nelson com o intuito de protestar contra a poluição. De acordo com dados divulgados na época, mais de 20 milhões de pessoas participaram do ato em todos os EUA.

Segundo mensagem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon “O Dia Internacional da Mãe Terra é uma chance de reafirmar nossa responsabilidade coletiva para promover a harmonia com a natureza em um tempo em que nosso planeta está sob ameaça da mudança climática, exploração insustentável dos recursos naturais e outros problemas causados pelo homem. Quando nós ameaçamos nosso planeta, minamos nossa própria casa – e nossa sobrevivência no futuro”

A AÇÃO DO TEMPO, CLIMA E SUAS VARIAÇÕES NA TERRA

¹De uma maneira geral, as atividades humanas sofrem a influência do tempo, do clima e de suas variações. Vale salientar que o tempo é o estado da atmosfera em um momento específico, enquanto o clima representa uma média em longo prazo das condições de tempo. Uma maneira bem simples de entender a diferença entre ambos é quando nos referimos a nossas roupas: o tempo influencia na roupa que vamos vestir, enquanto o clima interfere nas nossas decisões quanto às roupas que compramos. Logo, conhecer os sistemas que influenciam as variações do tempo clima é importante, uma vez que essas informações influenciam os setores agrícolas, pesqueiros, industriais, energéticos, entre outros, o que justifica a grande importância do tema em diversos ramos.

Nesse contexto, a precisão e o monitoramento do tempo, e do clima tornaram-se ferramentas essenciais e amplamente utilizadas nas últimas décadas. Inúmeros setores da sociedade utilizam tais informações, desde o simples cidadão que opta por levar ou não o guarda-chuva ou agasalho ao sair de casa, até grandes corporações industrias e agrícolas que planejam suas atividades diárias, semanais e mensais de acordo com as condições meteorológicas previstas. Logo, torna-se importante conhecer as condições que definem o tempo e o clima de uma determinada região, assim como a variabilidade e as alterações climáticas que vêm sendo observadas. As condições da atmosfera também influenciam diretamente a qualidade do ar em escala local e regional. Diversos problemas de poluição do ar são registrados em condições meteorológicas desfavoráveis à dispersão dos poluentes.

COMPOSIÇÃO DA  ATMOSFERA

A atmosfera da Terra é uma mistura de vários gases, cada um com características diferentes, e tal combinação é ideal para a manutenção da vida no planeta. Sem a atmosfera, as plantas, os oceanos e todos os seres vivos da Terra não existiriam. Assim, mesmo não sendo algo que consigamos ver ou sentir diretamente, sabemos que precisamos dessa atmosfera para viver.

Se analisarmos um volume qualquer de ar seco, na parte inferior da atmosfera, encontraremos, aproximadamente, 78% de nitrogênio (N2), 21% de oxigênio (O2) e, em valores que totalizam menos que 1%, estão os gases argônio (Ar), neônio (Ne), hélio (He), hidrogênio (H2) e xenônio (Xe). Todos esses são os chamados gases permanentes. Por outro lado, há gases que possuem concentração variável na atmosfera, sendo vapor d’água (H2O) e o gás carbônico (CO2) os mais importantes. A concentração de H2O pode varias de 0 a 4%, dependendo da localidade, sendo as menores concentrações em regiões polares frias e secas, e as maiores em regiões tropicais quentes e úmidas, enquanto as concentrações do CO2 totalizam 385 ppm, ou 0,038%. Completam a lista de gases variáveis o metano (CH4), o óxido nitroso (N20), ozônio (O3), partículas (poeira, por exemplo) e os clorofluorcarbonos (CFCs).

A importância do H2O na fase de vapor está no fato de que o mesmo pode condensar em gotículas de água ou partículas de gelo, sendo um constituinte fundamental nas trocas de energia. Assim, a mudança de fase associada à condensação do H20 libera grande quantidade de energia para a atmosfera, o que é chamado de calor latente. Na fase líquida, o H2O está associado à precipitação, e quando a água líquida transforma-se em moléculas de vapor, tem-se o processo de evaporação, mudança de fase que necessita de calor para acontecer.

Além de H2O ser importante como fonte de energia para tempestades através do calor latente, o mesmo é um importante gás do efeito estufa, juntamente com o CO2. Ambos os gases possuem a propriedade de reter parte da radiação que é emitida pela superfície e, em seguida, enviar radiação de volta para a mesma. Outros gases também são importantes quando o efeito estufa é estudado, como o CH4, O N20 e os clorofluorcarbonos (CFCs).

Outro gás variável da atmosfera da Terra de grande relevância é o O3, com aproximadamente 97% de sua concentração total presente na estratosfera, camada da atmosfera acima de 12 km de altura. Em tal camada, sua formação é natural. com átomos de oxigênio sendo combinados com moléculas de oxigênio. O O3 na estratosfera oferece uma proteção natural contra a radiação ultravioleta (UV), a qual é nociva para o ser humano. A exposição prolongada à radiação UV pode resultar em um grande dano à saúde humana, que é o desenvolvimento do câncer de pele. Na superfície, o O3 é considerado poluente, podendo acarretar prejuízos à visa humana e à vegetação.

 

¹Trecho retirado integralmente do livro Ciências Ambientais para Engenharia, Elsevier