engenharia-civil-imagem-de-internet

Engenheiros são os ‘’queridinhos” do mercado

Empresas têm procurado profissionais para atuar na área civil, mas eles preferem os concursos públicos

O mercado de trabalho brasileiro está bastante favorável para quem tem nível superior em engenharia. Na realidade, as ofertas de trabalho são crescentes, porém o nível dos formados na área ainda não é suficiente para preencher a quantidade de vagas. Estudos recentes indicam que esse fenômeno deverá permanecer pelos próximos anos.

Mesmo com a crescente procura por mão de obra qualificada nesse setor tão fundamental para o crescimento econômico, o Brasil continua formando menos engenheiros por ano que outros países emergentes, como a China, Índia e Rússia. Isso se dá também pela preferência dos alunos brasileiros pelos cursos de ciências humanas. Um outro fator que contribui para esse cenário é o fato de que muito dos graduados em exatas buscam estabilidade no marcado, e decidem prestar concursos públicos. 

Segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), realizado no final de 2013, de cada dez profissionais de ciência, tecnologia e engenharias formados, sete não ocupam postos de trabalhos típicos de suas áreas. Isso significa que 59% dos engenheiros brasileiros trabalham em outros setores que não engenharia. Apesar disso a engenharia é uma das áreas mais frenquentes nas listas de aprovados para concurso de nível superior na Receita Federal, nos cargos de auditor e analista.

 Uma ajudinha a mais para melhorar a carreira

Uma das principais reclamações dos recrutadores para empresas de construção civil, é que às vezes, o profissional formado não é qualificado para atuar na área.  Para possibilitar ao professor universitário oferecer melhor conteúdo para seus alunos, a Elsevier publicou duas obras que também são úteis para os engenheiros que desejam enveredar pela área da construção civil e topografia – peça-chave nos projetos de construções atuais – a aperfeiçoar suas habilidades na profissão.

Segurança nas Estruturas (2ª edição) traz informações sobre os diversos métodos já adotados na área e, principalmente, a justificativa para a evolução e as constantes modificações que ocorrem nestes procedimentos. A obra é base para o início dos estudos sobre o tema, posteriormente abordado com mais detalhes nas disciplinas específicas de cada material estrutural. Dividido em sete capítulos, o livro trata dos conceitos básicos e evolução histórica; métodos do coeficiente de segurança interno e externo, método das tensões admissíveis; introdução aos métodos probabilísticos e método dos estados limites. Na parte final, há exemplos resolvidos e propostos.

Por sua vez, Topografia para Engenharia é fonte de informações e conceitos abrangentes sobre cada uma das áreas fundamentais do ensino e da prática de Geomática – ramo do conhecimento que coleta, processa e produz informações geográficas e projeções físicas para o uso efetivo e racional dos dados pesquisados. O objetivo do livro é prover materiais relevantes para as disciplinas ensinadas nos cursos de Topografia para a engenharia, bem como subsídios para auxiliar os profissionais da área de Geomática no desenvolvimento de seus projetos de engenharia.