Consumo de lácteos no Brasil tem crescido anualmente

Consumo de lácteos tem crescido anualmente no Brasil

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Leite Longa Vida (ABVL), o consumo per capita de lácteos, e forma geral, cresceu 60% no Brasil, nos últimos 20 anos, atingindo 172 litros por habitante, em 2012. Já o consumo de leite branco, também chamado de leite de consumo, cresceu 70% no mesmo período, atingindo 53 litros por habitante por ano. Entre os leites de consumo, o leite UHT (Ultra High Temperature) já está presente em 87% dos lares brasileiros, representando 76% do leite fluido consumido, enquanto o leite condensado pode representar de 10% a 25% do faturamento das unidades processadoras de produtos lácteos no país. Inovações e uma ampla oferta de novos produtos, como leites fortificados ou com lactose reduzida (low lactose) estão disponíveis nas gôndolas de todos os supermercados no Brasil.

Do ponto de vista econômico, os leites de consumo apresentam importância crescente na economia brasileira e na dieta da população de diferentes classes socioeconômicas. O leite em pó integral, principal produto exportado do Brasil, tem como destino diversos países da América Latina e Europa, gerando divisas de U$234 milhões.¹

Leia mais sobre Leites de Consumo em: Processamento de Leites de Consumo

Os últimos anos têm sido marcados por preços muito voláteis do leite e das rações, o que impõe um desafio às propriedades rurais produtoras de leite. Os custos de produção do leite diferem muito de país para país, e mesmo dentro de um mesmo país, dependendo do sistema adotado pelo produtor. No ano 2013, mais de 50 países participaram da comparação anual de custos de produção e 95 países participaram da análise de perfil. O estudo de comparação de custos realizado pela IFCN avaliou 178 propriedades rurais típicas de 51 países. Os custos da produção do leite variaram, em média, de US$4,00 por 100 kg de leite em Camarões para US$128,00 por 100 kg de leite no Japão. A média simples geral dos custos em todos os países foi de US$46,00 americanos por 100 kg de leite.

MAIS ALGUNS DADOS

Os produtos lácteos apresentam importância crescente na economia brasileira e na dieta da população de diferentes classes socioeconômicas. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o Brasil exportou, em 2015, US$ 319 milhões e importou US$ 419 milhões. No entanto, ao avaliar por semestre, no primeiro o saldo foi de US$ 110 milhões negativos. Já na segunda parte do ano, o resultado foi positivo em US$ 10 milhões. Em 2015, o Brasil exportou 28 tipos de produtos lácteos para 45 diferentes destinos. A maior quantidade continua sendo comprada pela Venezuela, US$ 238 milhões em 2015, e o principal produto é o leite em pó integral, US$ 234 milhões. Por sua vez, no fim de 2014, o consumo de lácteos no Brasil alcançou o equivalente a 174 litros per capita, um incremento de 32% sobre os 132 litros de 2005, o que significa uma taxa de crescimento anual foi de 3,7% entre 2010 e 2015 segundo o banco holandês Rabobank.

¹ Trecho retirado do livro Processamento de Leites de Consumo, Elsevier