Abertura de empresas cresce 17% em meio à crise

Abertura de empresas cresce 17% em meio à crise

Com o novo cenário econômico imerso em crises, estagnação e aumento do desemprego, os brasileiros vêm buscando novas formas de se manter ativos no mercado. Segundo dados da Unitfour (empresa fornecedora de dados para o mercado), empresas abertas em janeiro de 2016 cresceram o equivalente a 17% do número de empreendimentos abertos no mesmo período no ano passado. No total, são mais de 167,2 mil novas inscrições em todo o Brasil, em 2015 o número chegou a 142,8 mil.

Até 2012 a quantidade de novas empresas abertas por ano era praticamente estável, chegando a sofrer uma queda de 6% em 2015, antes da crise estourar e o dólar alcançar patamares históricos.

Neste novo cenário, os microempreendedores individuais ainda são a maioria. Dentre todos os novos negócios, os que se enquadram no modelo “Microempreendedor Individual” (MEI) são os que mais crescem. Em 2013 empreendedores individuais correspondiam a 62% do número de novos empreendedores. Já em janeiro de 2016, o número já ultrapassa 82% do total.

¹PROCESSO DE ABERTURA DE UMA EMPRESA

De acordo com dados do Banco Mundial (2010), para abrir uma empresa no Brasil são necessários 152 dias. Estima-se que, em virtude da quantidade de documentos e instâncias necessárias para abertura de uma nova empresa, o número de empresas informais no Brasil seja equivalente à economia da Argentina. Mas se a empresa é um conceito jurídico, vamos entender como é o processo de abertura de uma empresa no Brasil. Deve-se antecipar que o empresário deve ter claras a sua intenção e vocação para isso.

Para abrir uma empresa, o empresário elabora um plano de negócio e um contrato social, registra o nome da empresa em uma Junta Comercial. Em seguida, de posse da Ficha de Cadastro Nacional (FCN), do Cadastro de Pessoa Física (CPF), do Registro Geral (RG) e do requerimento padrão, o empresário paga uma taxa via Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), que varia de estado para estado da Federação, e obtém o Número de Inscrição no Registro de Empresa (NIRE) para registrar a empresa como contribuinte no Cadastro de Nacional Pessoa Jurídica (CNPJ). Com base nesse registro e no Formulário da Prefeitura, consulta de endereço aprovada, CNPJ, Contrato Social e laudos dos órgãos de vistoria, o empresário solicita alvará de funcionamento na Prefeitura. Com o alvará de funcionamento e Demonstrativo Unificado do Contribuinte (DUC), Documento Complementar de Cadastro (DCC), comprovante de endereço, documento que prove direito de uso de imóvel, cadastro fiscal do contador, Imposto Sobre Serviço (ISS), certidão da junta, ato constitutivo, CNPJ, alvará de funcionamento, RG e CPF, o empresário inscreve-se na Secretaria da Fazenda, faz o cadastro na Previdência Social e solicita a permissão para a emissão de notas fiscais.

¹ Trecho retirado do livro Administração para engenheiros, Elsevier