Como ficará o salário mínimo nos próximos anos?

A ética empresarial em tempos de Operação Lava Jato

A Operação Lava Jato expõe a questão do risco de reputação das empresas ao revelar ao grande público uma informação que devia ser secreta. O pacto patrimonialista e clientelista que sempre presidiu os destinos do Brasil – que envolve grandes empresários “compadres”, políticos de carreira e burocratas da máquina pública – ganhou dimensões inéditas ao se converter em método de governo para a obtenção de apoio congressual. Esse processo é traumático para muitos e serve de alerta vermelho para as empresas reformularam seus mecanismos de controle.

De um lado, nem todas as sociedades humanas instigam seus agentes a infringir os padrões morais com a mesma intensidade. De outro, nem todas as pessoas estão à mercê das mesmas tentações para se corromper. Ao incitar ambições e ao aguçar apetites, as sociedades em que prevalecem relações mercantis abrigam mais seduções do que as sociedades não mercantis; expõem mais as consciências à prova e, em consequência, contabilizam mais violações dos códigos morais.

A Ética é um saber científico que se enquadra no campo das Ciências Sociais. É uma disciplina teórica, um sistema conceitual, um corpo de conhecimentos que torna inteligíveis os fatos morais. Mas o que são fatos morais? São decisões e ações cometidas por agentes sociais que afetam real ou potencialmente outros agentes sociais. Expliquemos. Visitar um museu ou apreciar uma vista não afeta ou impacta nossos semelhantes. Mas adulterar um taxímetro ou cuidar de crianças num orfanato produz efeitos reais inegáveis, para o mal ou para o bem. Isso significa que fatos daquela natureza causam danos ao prejudicar os interesses alheios (provocam o mal) ou geram ganhos ao beneficiar os interesses alheios (provocam o bem).

Texto escrito com informações do livro Ética Empresarial 5ª edição.