A busca por novas formas de combater a poluição da água

A busca por novas formas de combater a poluição da água

Com o forte aumento da industrialização na sociedade a poluição ganha novos contaminantes, na natureza e na água, a todo momento. Isso gera um aumento também nas tentativas de solucionar esses problemas, com a criação de diversas possibilidades de tratamento da água sendo desenvolvidas e aprimoradas. Embora a contaminação seja mais rápida do que o sistema de tratamento, pesquisadores tentam sanar os problemas com poluição diariamente, buscando formas eficazes de tratar a água imprópria, tornando-a novamente própria para a utilização.

Atualmente, são várias as possibilidades de tratamento de águas de abastecimento e residuárias e uma delas é a troca iônica. A ”troca iônica é uma reação reversível, na qual um íon carregado em solução é trocado por um íon carregado similarmente é ligado eletrostaticamente a uma partícula sólida imóvel. […] Ela é usada tanto em residências particulares – com o nome ponto de entrada ou ponto de utilização – quanto nos sistemas de abastecimento. A troca iônica também é usada para remover contaminantes específicos, tais como arsênio, bário, nitrato, e rádio.”

Outra preocupação constante no debate sobre a utilização dos recursos hídricos é a escassez de água doce no planeta. Uma saída apontada por especialistas para essa situação é a osmose reversa. ”A osmose reversa (OR), a nanofiltração (NF) e a eletrodiálise são processos por membranas que usam as diferenças na permeabilidade dos constituintes da água como uma técnica de separação.” O processo transforma água salgada em doce. Por meio do método, a redução do cloreto de sódio é tão grande, que a água pode ser utilizada até para o consumo humano.

No campo dos tratamentos de esgoto, onde o principal poluente é a matéria orgânica, existem, entre outros, a coagulação e floculação que “são componentes essenciais dos sistemas de tratamento de água convencionais, que são concebidos para: remover agentes infecciosos, remover compostos tóxicos adsorvidos à superfície das partículas, remover precursores para a formação de subprodutos de desinfecção, tornar a água potalável.[…] O objetivo da coagulação (e, posteriormente, floculação) é transformar as pequenas partículas em partículas maiores chamadas flocos, seja como precipitados, seja como partículas em suspensão. Os flocos são facilmente removidos em processos subsequentes, tais como sedimentação, flotação por ar dissolvido (FAD), ou filtração. Para fins desta discussão, coagulação significa a adição de um ou mais produtos químicos para condicionar as partículas pequenas para o processamento posterior por floculação. Floculação é o processo de agregação das partículas desestabilizadas e produtos de precipitação.”

A sociedade tem se industrializado demais, o que acaba gerando contaminantes novos na natureza e água, e por isso estão sendo desenvolvidas diversas possibilidades de tratamento de água, porém a sociedade também pode ajudar fazendo sua parte. ‘’A adoção pela comunidade de um ou mais dispositivos de redução de fluxo, tais como chuveiros que limitam o fluxo e vasos sanitários com baixo volume de descarga, pode ter impacto substancial no consumo per capita. A implementação dos requisitos para dispositivos de economia de água conserva os recursos hídricos e energia. Esses aspectos devem ser abordados no planejamento estratégico para o desenvolvimento da comunidade, bem como para os requisitos de instalações novas ou expandidas.’’

*Aspas extraídas do livro: Tratamento de Águas para Abastecimento e Residuárias, Elsevier