Conheça a evolução das redes em banda larga

Conheça a evolução das redes em banda larga

Nas últimas décadas, a infraestrutura das redes de telecomunicações passou por um processo de mudanças de conceitos, evoluindo de uma rede de transporte hierárquica, altamente estruturada, e com níveis bem definidos, para uma arquitetura mais plana e integrada, composta basicamente por três níveis: processamento, transporte e acesso.

Nessa nova ordem, as redes de comunicação são formadas por uma diversidade de equipamentos interligados, com diferentes arquiteturas e tecnologias. Em muitos casos, somadas aos novos equipamentos, ainda temos em operação arquiteturas de redes consideradas “ultrapassadas”, que vêm sendo utilizadas há décadas para atender algumas funcionalidades específicas, as chamadas redes legadas.

Algumas arquiteturas de redes legadas de telecomunicações, especialmente aquelas usadas nas redes de acesso, ainda se mantêm em operação, apresentando limitações tecnológicas que impactam no oferecimento de novos serviços baseados, principalmente, na internet. Para o leitor se posicionar no tempo, as primeiras soluções de acesso, nos anos 1970, baseavam-se em sistemas discados, conhecidos como serviços dial-up, que não permitiam ao usuário usufruir do serviço de voz e de dados simultaneamente. Nos anos 1980, surgiu a arquitetura Digital Subscriter Line (xDSL ou xDSL), que permitia a coexistência de tráfego de voz e de dados no mesmo meio de comunicação, mas com sérias limitações de velocidade. Paralelamente, surgiu a Hybrid Fiber-Coaxial (HFC), tecnologia desenvolvida com o propósito de suportar transmissão de televisão por cabo, funcionando como alternativa ao DSL para o tráfego de voz e dados.

Em particular, as redes em fibra óptica comerciais, que entraram em operação nos anos 1980, começaram a mudar esse panorama, sendo usadas inicialmente nos backbones de telecomunicações.

Os sistemas de telecomunicações requerem estruturas de redes de alta capacidade e beneficiam-se do uso das fibras ópticas em backbones de longa distância. As redes de longa distância, os backbones, são as redes centrais das operadoras de telecomunicações que possibilitam o tráfego pesado de informação.

As redes ópticas também passaram a ser encontradas nos backhauls, as redes secundárias, que possibilitam a conexão entre as centrais das operadoras, no núcleo da rede, os backbones, e as sub-redes periféricas dos provedores de telecomunicações, transportando um grande volume de dados das cidades, entre cidades, estados, países e continentes.

Nos últimos quilômetros desse emaranhado de redes de comunicação está o acesso ao usuário final, o trecho conhecido como última milha, ou last mile. É o “Último quilômetro” entre a operadora dos serviços de telecomunicações e o usuário final que possibilita a ligação entre as estações de serviços de telecomunicações e os usuários nas residências, nos prédios, empresas etc., para serviços na internet, comércio eletrônico, videoconferência, controle de processos, entre outros (Figura 1.1).

figura-1-1

Fonte: Redes Ópticas de Acesso em Telecomunicações, Elsevier